Há diversos malefícios em estar com o nome negativado nos órgãos de proteção ao crédito. Eles vão desde dificuldades na recolocação profissional até impactos mais severos na concessão de novos créditos ou aprovação de operações financeiras como um financiamento ou empréstimo.

Como é um processo que em alguns casos pode tomar tempo (e dinheiro), é importante atuar preventivamente e sempre consultar alternativas para regularização de seu CPF.

O primeiro passo é consultar o status de seu nome, verificar se há alguma pendência já lançada e, em caso positivo, qual o valor e instituição responsável pela negativação.

Você pode fazer isso gratuitamente pelo próprio site do Serasa: www.serasaconsumidor.com.br. Basta criar uma conta, ativá-la via e-mail ou celular, e pronto. Logo na primeira página você pode ver se você possui dívidas na Serasa. E ao lado, qual seu “score”, que nada mais é do que a informação que as instituições recebem a respeito de sua propensão de cumprir com seus compromissos financeiros. É este número que vai direcionar a possibilidade de concessões futuras de crédito.

Agora que você já consultou quais dívidas estão ativas em seu nome, chegou a hora de buscar os caminhos para saná-las. A grande maioria das instituições credoras opta por terceirizar o serviço de cobrança de seus títulos em atraso pois essa não é sua especialidade. O primeiro passo então é descobrir qual é o escritório de cobrança responsável pela negociação de seu(s) débito(s).

Essa informação pode ser obtida diretamente com a instituição credora (banco/financeira). Geralmente, em uma única ligação, e informando seus dados, você será informado sobre o telefone de contato e site da empresa responsável pela cobrança.

Atenção: É imprescindível que você confirme com a instituição credora quem é o escritório responsável por sua negociação. Sempre desconfie de caminhos alternativos, pois alguns deles certamente levarão à fraudes e golpes. E isso é tudo que você não precisa nesse momento.

Com estas informações em mãos, chegou a hora de negociar. Leve em consideração os seguintes pontos:

  • Informe-se sobre o valor principal de seu débito, há quantos dias ele está em atraso e quais encargos incidiram sob o valor;
  • Consulte as condições de acordo. Quanto mais próximo da data atual, melhores as condições;
  • Caso haja possibilidade de parcelamento, leve em consideração que o você perderá boa parte dos descontos concedidos para a quitação integral do débito. No entanto, caso seja a única alternativa viável para seu bolso no momento, pode ser uma saída rápida e não tão onerosa para que você tenha seu nome novamente regularizado;
  • Tome nota de todos os valores e prazos passados, e também deixe claro para seu interlocutor quais condições seriam mais adequadas para que você pudesse finalizar a pendência o mais rápido possível;
  • Não conseguiu chegar em um acordo no primeiro momento? Faça uma contra-proposta! Nem todas instituições trabalham com políticas para análise de proposta, mas é algo que você pode esclarecer logo em seu primeiro contato. Deixe claro qual seria sua negociação ideal e, em muitos casos, ela é passada para a credora que analisa e dá um retorno positivo ou negativo. Ou, como ocorre em muitos casos, envia uma nova contra-proposta.

Nem sempre as negociações são concluídas no primeiro contato, faz parte. Entretanto, mantenha seu cadastro atualizado para receber as propostas via telefone ou e-mail e tenha sempre em mente que as negociações de sucesso são efetivadas quando há uma condição positiva para todos envolvidos. Neste caso, você, o escritório responsável, e a instituição credora. Todos precisam ceder um pouco para que possam se encontrar no meio termo.

Para mais conteúdos como este, fique ligado em nosso blog. Caso tenha alguma sugestão, você pode enviá-la para nós no e-mail blog@novaquest.com.br